sábado, 9 de julho de 2011

PAIS E PROFESSORES - RESPONSABILIDADE DE EDUCAR E TRANSFORMAR O MUNDO. O ESTADO NO DEVER DE FAZER ACONTECER



                                 Capela de Nossa Senhora da Conceição - Comunidade Cinco Cantos
                                 Fundada em 1937

                                 Capela de Nossa Senhora da Conceição - vista da lateral
                                 Altar da Capela de Nossa Senhora da Conceição
                                              Antigo  Confessinário 

                                 Escola - Naro Ribeiro - Na Comunidade Curicaca.


O TEXTO A SEGUIR FOI TRANSCRITO DO LIVRO EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL - EDUCAR É BEM MAIS QUE PROGRAMAR PESSOAS A PRODUZIR E CONSUMIR. SAMAEL AUN WEOR.

O maior problema da educação pública não são os alunos de Primeiro Grau, Segundo Grau ou Terceiro Grau. O maior problema são os pais e os professores.
Se os pais e professores não conhecem a si mesmos, se não são capazes de compreender a criança, se não sabem entender a fundo sua relação com essas criaturas que começam a viver, se somente se preocupam em alimentar o intelecto de seus estudantes, como poderemos criar uma nova categoria de educação?
A criança, o aluno, a aluna, vão à escola para receber orientação consciente. Porém, se os professores são de limitado critério, conservadores, reacionários, retardatários, assim serão os alunos.
Os educadores precisam se reeducar a si mesmos, revisar seus conhecimentos e compreender que estamos entrando em uma Nova Era. Ao transformarmos os educadores, transformaremos a educação pública.
Educar o educador é o mais difícil de tudo porque aquele que leu muito, aquele que tem um título, aquele que ensina, que é professor, já se tornou o que é. Sua mente está enfrascada nas cinquenta mil teorias estudadas em sua vida; já não muda nem a canhonaços.
Os professores deveriam ensinar a "como pensar". Infelizmente só se dedicam a ensinar o "em quê pensar".
Pais e professores vivem cheios de horríveis preocupações financeiras, sociais, sentimentais, etc.
O que existe uma tremenda degeneração mental, moral e social. Mas, os pais e professores estão cheios de ansiedades e preocupações pessoais e só têm tempo para pensar no aspecto econômicos dos filhos, em lhes dar uma boa profissão para que não morram de fome. Isso é tudo!
Contrário à crença geral, a maioria dos pais de família não ama verdadeiramente seus filhos. Se os amassem, lutariam pelo bem estar comum; se preocupariam pelos problemas da educação pública, com o propósito de obterem uma verdadeira mudança.
Se amassem de verdade a seus filhos, não haveria guerras, não destacariam tanto a família e o país em detrimento da totalidade do mundo, porque isso cria problemas, guerras, divisões prejudiciais e um ambiente infernal para os filhos.
As pessoas estudam e se preparam para serem médicos, engenheiros, advogados, etc. Mas ninguém se prepara para a tarefa mais grave e difícil, que é ser pai ou mãe de família.
Esse egoísmo familiar, essa falta de amor ao semelhante, essa política de isolamento familiar, é cem por cento absurda, porque se transforma em fator de deterioração e constante degeneração social.
Quando os pais de família amarem de verdade a seus filhos, as paredes e grades do abominável isolamento social cairão por terra, e então a família deixará de ser um círculo egoísta e absurdo.
Caindo os egoístas muros familiares, haverá comunhão fraternal com todos os demais pais e mães de família, com todos os professores e toda a sociedade.
O resultado da verdadeira fraternidade é a autêntica transformação social; é a legítima revolução educativa para fazer um mundo melhor.
O educador deve ser mais consciente, deve reunir os pais e mães de família e a associação de pais e mestres, e falar claramente.
É necessário dizer aos pais que a Educação fundamental é indispensável para levantar as novas gerações.
É indispensável dizer aos pais que a formação intelectual é necessária, mas que não é tudo. Necessita-se de algo mais; necessita-se ensinar aos jovens a se conhecerem a a si mesmos, a conhecerem seus próprios erros e seus defeitos psicológicos.
É preciso dizer aos pais que os filhos devem ser gerados por amor e não por paixão animal.
É cruel e impiedoso projetar nossos desejos animais, nossas violentas paixões sexuais, nossos sentimentalismos doentios e nossas emoções bestiais em nossos descendentes.
Os filhos são nossas próprias projeções; é criminoso infectar o mundo com projeções bestiais.
Os professores de todos os níveis devem reunir os pais e mães nos auditórios de eventos para lhes ensinar o caminho da responsabilidade moral para com os filhos, a sociedade e o mundo.
Os educadores têm o dever de se reeducarem e de orientar os pais e mães de família.

ATRAVÉS DA PROFUNDIDADE SOBRE O TEXTO  - COMENTAMOS POR TRATAR-SE DE CORTAR NA PRÓPRIA CARNE A RESPONSABILIDADE NA EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL.

O entendimento profundo sobre o assunto requer uma meditação que somente a Bíblia Sagrada pode nos proporcionar que no meu entender deveria ser a principal fonte de pesquisa como base científica em primeiro lugar e mesmo antes de quaisquer experimentos. Como?
É preciso despojar-se do ser material, abstrair-se, elevar-se, humildar-se, e ser aceito. Criar corpo celestial e viajar nas dimensões superiores e investigar. Como na realidade é difícil.
Mas, observando claramente observa-se que entre todos os assuntos que a humanidade precisa para viver em paz, saúde, felicidade completa reside numa única chave que chama-se a obediência, obediência a Palavra de Deus. Sim, porque em tudo há uma resposta. Há uma máxima que diz: "Quando o discípulo estar pronto o Mestre aparece". 
Acho que a Educação Fundamental que faz o caráter do indivíduo em consórcio com os pais, nunca encontrará a verdadeira solução se o educador não tiver a liberdade e aceitação, claro depois de estarem capacitados, de poderem expressar-se com a clareza que a verdade requer para efetuar as mudanças no comportamento social tendo como base a família.
Mas não, hoje se qualquer um dos nossos educadores  falarem para o pai ou uma mãe de aluno e disser para eles que a deficiência da aprendizagem de seu filhos é em decorrência da falta de amor verdadeiro pelos seus filhos, logicamente o professor será criticado e não aceito com as suas colocações.
Essa falta de amor verdadeiro, nunca aceita pelos pais e mães, porque qualquer um dos responsáveis pela família, logo entraria em conflito procurando defender com a matéria simples de dizer: falta de amor nunca, porque tenho dado para meu filho, deixo sempre ele fazer o que bem quer, nunca o disciplino como deveria ser. Falso entendimento.
Sendo assim, quem paga pela desestruturação familiar é sempre a sociedade, sobre o pretexto de "pago meus impostos, temos esse direito de ter um serviço de qualidade educacional.
Quanta irresponsabilidade. E as drogas o leva para o mundo da dependência ou do crime.
Por isso, o texto acima corta na carne também, os docentes que são pais, mães. Os docentes  precisam penetrar nas águas profundas da espiritualidade dos assuntos educacionais. Os pais, precisam  aceitarem todos os direcionamentos da educação ministradas pelos professores, ainda que as instruções cheguem a ferir quando aquelas forem muito fortes. Para o bem dos filhos e da família e da própria escola.
Assim como o médico prescreve tratamentos especiais para os pacientes e os mesmos têm que que cumprir, assim deve ser a obediência dos pais com relação a prescrição dada pelo professor para que sejam aplicadas  aos seus filhos ou até mesmo na conduta da família.
Agora, o profissional em educar não consegue ter o respeito nem mesmo por parte dos pais de família, dos alunos, imagine pelo poder Público Federal, que encontra meios de investir mais no mecanismos onde os professores trabalham e esquecem o principal que é a pessoa humana. Colocar, a pessoa humana, o professor, abaixo da linha de responsabilidade do Estado é comprar todos os desajustes sociais que o Brasil hoje é obrigado a engolir. 

"A VERDADE É A VITÓRIA DE POUCOS E A DESGRAÇA DE MUITOS' isso não seria a mesma coisa que dizer "SÃO MUITOS OS CONVIDADOS E POUCOS OS ESCOLHIDOS'. 
Sejamos, professores verdadeiros com capacidade de prescrever ações aos pais de alunos, sem medo de errar. "Dentro da Escola sou pai e mãe por adoção durante  todos os dias do ano letivo, preciso de respeito". Então pais e mães, obedeçam as prescrições educacionais dada pelos  professores e recebam seus filhos como verdadeiros homens e mulheres que podem viver socialmente.
Ao Estado, respeite a classe mais imprescindível a paz da humanidade, porque é por meio deles que nascem, o médico, o juiz, o delegado, o advogado, o político e todos que a sociedade precisa.

O bandido nasce da  irresponsabilidade no educar. Depois não se  tem de quem reclamar.

É através da necessidade de sobrevivência do homem que ele busca em ser um cidadão melhor e consciente de seus deveres.

Ao Estado;  sustentem o cidadão com o bolsa família, vale alimentação, vale gás, vale tudo, vale não sei o que mais lá, vale aluguel, que sempre será assim, adquirindo o Vale da Vergonha.

Que a Sociedade violenta como estar,  VALE A SUA IRRESPONSABILIDADE como único argumento de transformar o cidadão. Quer mais: Procure um trabalhador para dedicar suas atividades no campo que não se encontra em lugar algum.

Está  na hora de se dar o anzol para se pescar, porque o peixe já estar em falta e já caiu na desgraça da falta de tempero.

  





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário